O professor de Matemática, do Anglo Sorocaba, Samuel Abdalla, teve duas questões de sua autoria entre as 20 selecionadas para compor a prova teórica da primeira fase da OBR – Olimpíada Brasileira de Robótica, nível Ensino Médio. “Todos os responsáveis por olimpíadas acadêmicas são convidados a participar com sugestões de questões para os exames, e eu fiquei super feliz em participar e contribuir”, relata Samuel.

Também responsável pelo POTI – Polo Olímpico e Treinamento Intensivo, nas unidades de Sorocaba, Itapetininga e São Roque, Samuel já participou diretamente da prova da OBR, na edição de 2015, quando uma questão de sua autoria também foi escolhida.

“No caso de sugerir questões para a OBR, precisamos levar em consideração a criatividade, pertinência com tema de Robótica e interdisciplinaridade com matérias como Matemática, Física, Eletrônica e Computação, por exemplo, então é preciso muito estudo e empenho”, complementa Samuel.

Sobre a OBR

A olimpíada científica OBR é constituída por professores, cientistas e doutores na área de Robótica e Tecnologia das maiores e melhores universidades públicas e particulares do Brasil, que atuam voluntariamente com a proposta de estimular jovens às carreiras científico-tecnológicas.

A prova é dividida em teórica e prática, com etapas regionais, nacionais e internacionais. A primeira fase tem aplicação e correção das provas como responsabilidade do tutor que inscreveu estudantes na Modalidade Teórica. 

Os exames são de diferentes níveis e disponibilizados pela OBR, via Sistema Olimpo – Sistema de Gerenciamento de Olimpíadas e Eventos Científicos, no perfil do professor responsável, em formato PDF, alguns dias antes de sua aplicação, para que as provas sejam impressas e aplicadas aos estudantes. O professor/tutor responsável e a instituição devem ter pleno conhecimento das atribuições e procedimentos detalhadamente descritos no Manual de Aplicação de Provas – Fase 1 e Fase 2. A seguir são listadas as atividades envolvidas de forma geral.